Caminhões a etanol

Capazes de reduzir em 92% a emissão de CO2 em comparação a veículos similares a diesel, os novos caminhões movidos a etanol de cana já se apresentam como a solução mais sustentável para empresas comprometidas em reduzir os impactos ambientais gerados pelo transporte de carga.

A avaliação é do consultor de Tecnologia e Emissões da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Alfred Szwarc, após a multinacional Clariant, uma das líderes mundiais no setor químico, anunciar, em dezembro de 2015, a aquisição de três caminhões a etanol produzidos pela Scania, empresa pioneira na fabricação deste tipo de veículo.

“É significativo o fato de a Clariant reconhecer o potencial do etanol na mitigação dos gases de efeito estufa e fechar uma parceria com a Scania na compra destes primeiros caminhões, até então inéditos na América Latina, mas desde 2011 já utilizados na Europa. Sem dúvida, uma excelente oportunidade para o mercado nacional. Afinal, a maior frota de carros leves do mundo movida a etanol é a brasileira. Por que não repetir este sucesso no segmentos de veículos pesados?”, analisa o especialista da UNICA.

Fonte: UNICA

Caminhões a etanol

Capazes de reduzir em 92% a emissão de CO2 em comparação a veículos similares a diesel, os novos caminhões movidos a etanol de cana já se apresentam como a solução mais sustentável para empresas comprometidas em reduzir os impactos ambientais gerados pelo transporte de carga.

A avaliação é do consultor de Tecnologia e Emissões da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Alfred Szwarc, após a multinacional Clariant, uma das líderes mundiais no setor químico, anunciar, em dezembro de 2015, a aquisição de três caminhões a etanol produzidos pela Scania, empresa pioneira na fabricação deste tipo de veículo.

“É significativo o fato de a Clariant reconhecer o potencial do etanol na mitigação dos gases de efeito estufa e fechar uma parceria com a Scania na compra destes primeiros caminhões, até então inéditos na América Latina, mas desde 2011 já utilizados na Europa. Sem dúvida, uma excelente oportunidade para o mercado nacional. Afinal, a maior frota de carros leves do mundo movida a etanol é a brasileira. Por que não repetir este sucesso no segmentos de veículos pesados?”, analisa o especialista da UNICA.

Fonte: UNICA

Firmado acordo que incentiva redução das emissões de GEEs

No início do mês, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) deu mais um passo na luta contra o aquecimento global durante a 21ª Conferência das Partes (COP21), em Paris.

A entidade assinou um Memorando de Entendimento em parceria com o Governo do Estado de São Paulo, cujo objetivo é incentivar suas usinas associadas a reduzir as emissões de Gases de Efeito de Estufa (GEEs). O acordo entra em vigor a partir da data de assinatura e tem validade de 90 dias.

“Hoje, a indústria sucroenergética é uma das mais sustentáveis no setor produtivo, ocupando o segundo lugar na geração de fonte de energia renovável mais usada no Brasil. O Memorando é a segunda parceria da UNICA com o Governo de São Paulo, reafirmando nosso compromisso e preocupação com o meio ambiente”, afirma a presidente da entidade, Elizabeth Farina.

Fonte: Unica

Etanol

A proporção de cana-de-açúcar direcionada à fabricação de etanol nos últimos 15 dias de novembro continuou superior ao índice registrado em igual período do último ano: 66,94% na atual safra, contra 63,44% em 2014. Os dados foram divulgados na terça-feira (8) pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica).

Com isso, a produção de açúcar na segunda metade de novembro atingiu 704,1 mil toneladas, queda de 7,21% em relação às 758,83 mil toneladas verificadas na mesma quinzena do último ano. A produção quinzenal de etanol, por sua vez, alcançou 881,24 milhões de litros (+8,21%), com 428,05 milhões de litros de anidro (+46,91%) e 453,19 milhões de litros de hidratado (-13,35%).

Para o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, “a produção de anidro continua em ritmo acelerado e atingiu 22,84 litros por tonelada de cana processada nos primeiros quinze dias de novembro, com a desidratação de 69,95 milhões de litros de etanol hidratado”.

No acumulado desde o início da safra 2015/2016 até 1º de dezembro, a fabricação de açúcar somou 29,42 milhões de toneladas, recuo de 6,42% em relação a igual período de 2014. A produção de etanol totalizou 25,79 bilhões de litros, 2,34% superior ao índice registrado até a mesma data de 2014 (25,20 bilhões de litros). Desse total, 15,87 bilhões de litros foram de hidratado (+8,64%) e 9,92 bilhões de litros de anidro (-6,34%).

Vendas de etanol
As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil somaram 2,52 bilhões de litros em novembro (+22%), com 269,21 milhões de litros direcionados à exportação e 2,25 bilhões de litros ao mercado interno. No mercado doméstico, o volume de etanol hidratado comercializado no Centro-Sul atingiu 1,44 bilhão de litros, crescimento de 23,15% frente aos 1,17 bilhão de litros contabilizados em novembro de 2014. Os dados são da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica).

Para o diretor técnico da entidade, Antonio de Padua Rodrigues, “essas estatísticas de vendas indicam um recuo na demanda por etanol hidratado”. A taxa de crescimento das vendas do produto ao mercado doméstico era superior a 40% até setembro; alcançou 36,44% em outubro e, em novembro, caiu para 25,15%, comentou.

Já as vendas de etanol anidro ao mercado interno totalizaram 809,09 milhões de litros em novembro, contra 752,52 milhões de litros apurados no mesmo mês de 2014.

No acumulado de abril até o final de novembro, as vendas de etanol alcançaram 20,27 bilhões de litros – 18,77 bilhões de litros destinados ao abastecimento doméstico e 1,5 bilhão de litros ao mercado internacional. Esse volume total comercializado em 2015 responde por um aumento de 24,87% em relação aos 16,24 bilhões de litros comercializados no mesmo período da safra passada.

Fonte: Globo Rural

Amiga da natureza

A Thermic recebeu o certificado “Amigos da Natureza”, do Jardim Botânico de Bauru. O local possui 1.500 metros quadrados de área e sua capacidade de produção de 77.800 mudas por ano.

Dia da Criança

No último sábado, dia 10, a Thermic realizou a sua tradicional festa em comemoração ao Dia das Crianças. Os colaboradores passaram momentos de muita alegria e diversão ao lado de seus filhos. Muitos jogos e brincadeiras foram realizadas. No cardápio, todas aquelas delícias que a criançada adora! Confira alguns momentos da festa!

IMG_1882 IMG_1855 IMG_1867 IMG_1822 IMG_1814 IMG_1812

NOTA DE FALECIMENTO

É com muita tristeza que comunicamos o falecimento do nosso colaborador Joaquim Fernando Martins. Aos 23 anos, Kinzinho como era conhecido, faleceu após colidir sua moto em um caminhão, por volta das 4h30, do último sábado, 19 de setembro.

A Thermic, por meio de todos os seus diretores e colaboradores, vem neste momento prestar sua solidariedade à família.

Crédito

O Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou hoje (27) a ampliação do limite de crédito para fundação e renovação de canaviais na safra 2015/2016. Segundo o Ministério da Fazenda, o colegiado elevou para até R$ 1 milhão o limite de R$ 385 mil por beneficiário quando os recursos adicionais forem destinados à fundação ou ampliação de lavouras.

De acordo com a norma para crédito rural, a fundação ou ampliação de lavouras de cana abrange os trabalhos preliminares, o plantio e os tratos subsequentes até a primeira safra, além da renovação de lavouras de cana em áreas antes ocupadas por canaviais com ciclo produtivo esgotado. O estímulo à fundação ou renovação de canaviais é parte da estratégia do governo de fomentar a produção de cana-de-açúcar, atendendo à demanda crescente por etanol combustível. O crédito para essa finalidade vigora desde a safra 2011/2012.

Na reunião desta quinta-feira, o CMN também definiu em 10,5% a taxa efetiva de juros para operações de capital de giro do Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias (Procap-Agro). A taxa vale para operações contratadas a partir de 1º de setembro deste ano.

Fonte: Agência Brasil

 

Troca

A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) divulgados nesta segunda-feira (24/8) apontam que o consumo de etanol hidratado, aquele que abastece diretamente os tanques dos veículos, teve o maior consumo já registrado nos últimos 15 anos somente no mês de julho. De acordo com o órgão, os brasileiros utilizaram 1,55 bilhão de litros, o maior volume já registrado desde o ano 2000, quando a ANP e as distribuidoras começaram a divulgar estes dados.

Segundo nota divulgada pela União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA), um volume próximo a esse só foi registrado em dezembro de 2009, quando foram consumidos 1,51 bilhão de litros do biocombustível.

Os números da ANP também indicam que a participação do etanol no consumo do ciclo Otto (gasolina comum e etanol hidratado) também foi a maior do ano, chegando a 24,1%. A demanda nacional de combustíveis leves (aqueles que poluem menos que os combustíveis fósseis) cresceu 3,4% no comparativo com julho de 2014 e 2,75% quando comparado ao mês anterior (junho de 2015).

O consumo de gasolina comum aumentou apenas 2,3% entre os meses de junho e julho de 2015.

A tendência de crescimento nas vendas de etanol hidratado aconteceu em todas as regiões do Brasil, mas ao comparar o consumo dos meses de junho e julho, a ANP apontou que Minas Gerais teve um aumento expressivo no consumo de etanol hidratado nos veículos flex, quase 20%.

Para o diretor Técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, esta expansão contínua do consumo do etanol reflete o preço competitivo do produto frente ao seu concorrente fóssil, a gasolina.

“Em diversos Estados, a paridade de preços entre o etanol hidratado e a gasolina segue em patamares inferiores à relação técnica de 70% do rendimento dos veículos. Chamo a atenção para São Paulo, onde a paridade ficou na casa dos 62% e Mato Grosso com 60%,” observou Rodrigues.

Nos outros estados, a paridade de preços ficou assim: Goiás com 64%, Minas Gerais com 65%, Paraná com 66% e Mato Grosso do Sul com 69%, inferiores aos 70% neste mês de julho.

Fonte: Globo Rural

Thermic destaca a importância das mãos na SIPAT 2015

A importância das nossas mãos, não só como instrumento de trabalho, mas também em casa quando estamos com a família foi o tema da palestra de abertura da Sipat 2015 (Semana Interna de Prevenção de Acidentes) realizada de 13 a 17 de julho. O psicólogo Dinael Correa de Campos ressaltou que o profissional que se cuida tem a autoestima elevada. Os colaboradores aprenderam que uma pessoa feliz envolve-se menos em acidentes de trabalho.

No segundo dia, a palestra foi com o engenheiro do trabalho Carlos Jacóia que falou sobre a vulnerabilidade das mãos e reforçou a importância da prevenção de acidentes. A higiene pessoal no ambiente de trabalho foi o assunto abordado no terceiro dia do evento por Perla Martins, do SESI. A palestrante ressaltou que um profissional que se cuida, demonstra amor próprio e respeito a si mesmo e aos colegas de trabalho. Já o médico Carlos Thironi Silva, no quarto dia do evento, ao falar sobre as DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) alertou para o aumento do número dos casos de AIDS e reafirmou que a prevenção continua sendo a melhor solução para evitar a doença.

A Sipat 2015 foi encerrada com a apresentação da peça “Funcionário perfeito, marido ideal”, pela Cia Taty, de São Paulo. De maneira divertida, os integrantes da trupe reforçaram a importância dos colaboradores da Thermic protegerem-se no dia a dia, especialmente as mãos, tema central deste ano.

IMG_8170

 

_MG_0006

_MG_0011

_MG_0033

_MG_0043

_MG_0068