Investimento

O montante de crédito rural para financiamento da agricultura empresarial na safra 2013/14 crescerá 18% para R$ 136 bilhões, dosage dos quais R$ 97, buy 6 bilhões para custeio e comercialização (crescimento de 12,2%) e R$ 34,8 bilhões para investimento (aumento de 35,7%).

O anúncio foi feito nesta terça-feira, 4, pela presidente Dilma Rousseff e o ministro da Agricultura, Antônio Andrade, durante solenidade de lançamento do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2013/14, no Palácio do Planalto.

O ministro Antônio Andrade destacou durante o lançamento que, além dos financiamentos para bancar o plantio e a comercialização da próxima safra, o novo plano prevê crédito de R$ 25 bilhões nos próximos cinco anos para investimentos na construção de silos para armazenagem de grãos, sendo R$ 5 bilhões na temporada 2013/14. O prazo será de até 15 anos para pagamento. O governo também irá investir R$ 500 milhões na modernização e duplicação da capacidade de armazenagem da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O ministro anunciou que do volume de recursos de R$ 136 bilhões previstos para financiamentos das atividades da agricultura empresarial na próxima safra, R$ 115,6 bilhões terão taxas de juros controladas. O montante é 23% superior aos R$ 93,9 bilhões programados na safra 2012/13. O governo manteve taxa de juros anual média do crédito rural em 5,5% e reduziu em algumas linhas de crédito, como a de financiamento do médio produtor rural que caiu de 5% para 4,5% ao ano.

Outras linhas diferenciadas são os financiamentos para compras de máquinas agrícolas, equipamentos de irrigação e armazenagem, que terão taxas de 3,5% ao ano. O plano prevê que o Programa de Sustentação de Investimento (PSI-BK) para o financiamento de máquinas e equipamentos agrícolas terá R$ 6 bilhões, enquanto para a agricultura irrigada o total de recursos programado é de R$ 400 milhões.

No caso do médio produto rural, o governo irá disponibilizar R$ 13,2 bilhões para custeio, comercialização e investimento. Segundo o governo, o valor é 18,4% superior aos R$ 11,15 bilhões previstos na safra 2012/13. Para os médios produtores rurais (Pronamp), os limites de empréstimo para custeio passaram de R$ 500 mil para R$ 600 mil, enquanto os de investimento subiram de R$ 300 mil para R$ 350 mil.

Fonte: Venilson Ferreira, da Agência Estado